Portal BEI

Minerva (BEEF3): Preços de exportação mais fracos devem pesar no 4T23, vê Santander – Money Times

Fonte: Pasquale Augusto
minerva beef3
No mercado interno, o Santander espera uma forte procura e uma melhoria marginal dos preços, refletindo o gado mais caro no período (Imagem: Minerva Foods)

No dia 6 de março, a Minerva (BEEF3) divulga seus resultados referentes ao quarto trimestre de 2023 (4T23).

Na visão do Santandera expectativa é de que os resultados venham aquém das expectativas do mercado. A projeção do banco para o Ebitda, de R$ 724 milhões, está 9% abaixo do consenso da VisibleAlpha.

Para a instituição, os resultados serão impactados pela alta dos preços no Brasil e preços de exportação fracos em reais, apesar dos fortes volumes.

O Santander mantém sua recomendação neutra, com preço-alvo de R$ 8 para o papel em meio à potencial desaceleração do ciclo pecuário brasileiro em 2025, juntamente com os baixos preços de exportação e a falta de visibilidade sobre o momento da aprovação do acordo com a Marfrig (MRFG3), o que reduz a visibilidade dos lucros.

Preços mais altos do gado devem afetar rentabilidade de BEEF3

O banco prevê que a divisão brasileira apresentará compressão de margem sequencial, afetada por:

  1. aumento trimestral de 5% nos preços do gado (média de R$ 240/15kg); e
  2. preços de exportação de carne bovina praticamente estáveis em reais.

Por outro lado, os dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior) indicam fortes volumes de exportação para o 4T23. Quanto ao mercado interno, o Santander espera uma forte procura e uma melhoria marginal dos preços, refletindo o gado mais caro no período, embora as margens possam comprimir trimestre a trimestre.

Já na América do Sul, os ciclos do gado parecem estar melhorando no Paraguai e Uruguai, apesar do cenário ainda fraco para os preços de exportação.

A perspectiva otimista para a Minerva nos dois países se dá pela melhoria da disponibilidade, o que se traduz em:

  1. maior produção de carne bovina;
  2. recuperação dos volumes de exportação; e
  3. preços estáveis do gado.

Por outro lado, as operações da Argentina continuam atrasadas, devido a:

  1. taxas cambiais voláteis durante o trimestre; e
  2. incertezas sobre o ambiente macro e seus efeitos contra-cíclicos no ciclo do gado.

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
+ Relacionadas
Últimas

Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias do mundo dos negócios!