Portal BEI

“Educação financeira de mulheres é nosso foco”, diz Tarciana Medeiros, do BB

Fonte: Danielle Ruas

Lugar de mulher é adquirindo onde ela quiser e, de preferência, adquirindo educação financeira. Quem prova isso é o Banco do Brasil, que acaba de lançar um programa de educação financeira voltado exclusivamente para as mulheres – o Educa + Mulher, voltado especialmente às mães solteiras.

Na prática, esse público receberá noções de como construir uma reserva para subsidiar os estudos de filhos, netos e sobrinhos no futuro, sendo que a iniciativa é fruto de uma parceria com o Tesouro Nacional e com a B3, bolsa de valores brasileira sediada na cidade de São Paulo.

O Ministério da Fazenda aponta que a iniciativa é pioneira no mercado e visa encorajar as mulheres a realizarem o seu primeiro investimento. O foco são os títulos de renda fixa Tesouro Educa+, lançado em agosto de 2023 em parceria com a B3 – Bolsa de Valores.

“A partir de R$ 35, qualquer investimento realizado, as incluirá na apólice do BB Seguro de Vida Mais Mulher, com validade de um ano. A meta deste seguro é proteger os beneficiários no caso de uma perda financeira inesperada”, afirma o comunicado do Ministério da Fazenda.

Outra novidades é que as participantes poderão acessar cursos, sendo assistidas por uma equipe humana e digital através do WhatsApp e do portal InvesTalk (investalk.bb.com.br).

Mulher abre porta para outra mulher

Tarciana Medeiros, presidenta do BB, diz o seguinte: “Nosso princípio é estar ao lado do público feminino em todos os momentos. Sempre digo – e isso é até um dos meus lemas de vida – que uma mulher abre portas para outras mulheres”, afirma, enfatizando que o papel do programa é de evidenciar as mulheres, e deixá-las como protagonistas de suas histórias. “Assim elas poderão planejar o futuro educacional de quem mais amam”, afirma.

Na visão de Rogério Ceron, da Secretaria do Tesouro Nacional, o órgão reconhece a iniciativa do Banco do Brasil de incentivar a educação financeira e a independência das mulheres.

Para Rogério, trata-se de uma programa que alinha-se com os valores de impacto social positivo e também marca um passo significativo em direção à segurança financeira das mulheres e das famílias do Brasil. “Este é um exemplo notável de como as instituições financeiras podem ter um impacto significativo no desenvolvimento econômico das pessoas e no bem-estar social”.

O diretor de Captação e Investimentos do BB, Fabrício Reis, completa que investimento é reserva de emergência das pessoas. E que dinheiro guardado mantém a pessoa resiliente em momentos de dificuldades. “E isso faz com que as as famílias não precisem tirar os filhos da escola em momentos de dificuldade. Com essa promoção, queremos trazer o hábito de poupar, dizendo para as mulheres que estaremos ao seu lado, em todos os momentos”.

Inclusão Social

O Educa + Mulher está incluso na agenda de ações voltadas para a inclusão e o empoderamento feminino. Além desse programa, o Banco do Brasil conta com o Mulheres no Topo, programa de crédito voltado para mulheres empreendedoras.

O Seguro de Vida Mais Mulher é um seguro de vida para mulheres. Seu foco é a proteção financeira em situações inesperadas envolvendo a vida. O seguro beneficia a mãe e seus filhos, que podem contar com diversas proteções, como morte natural ou acidente, e invalidez completa por acidente. Além das coberturas básicas, o seguro oferece assistência de apoio à mulher em situações de vulnerabilidade e violência patrimonial, e cesta básica mensal, através de Cartão Alimentação, em caso de falecimento.

Na prática, são produtos acessíveis a qualquer um, que decide em quanto quer investir, com baixo custo e baixo risco.

Investimentos

Em 12 meses, o BB teve um crescimento no volume aplicado em títulos do Tesouro Direto superior à indústria.

Esse mercado cresceu 22,5%, e o volume no BB teve um salto de mais de 30%, sendo que a participação do público feminino [34%] foi maior que a masculina [29%].

O número de investidores no último ano também teve um aumento: de quase 24% entre elas, e 18% entre eles. Os dados referem-se a novembro de 2022 a novembro de 2023.

Segundo dados da Secretaria de Tesouro Nacional, o número de mulheres investindo em Tesouro Direto está na casa dos 27%. No BB, elas já representam 40% dos investidores em títulos do Tesouro. No geral, no BB o público feminino representa 48% dos investidores.



Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
+ Relacionadas
Últimas

Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias do mundo dos negócios!