Portal BEI

Sebrae-RS vai oferecer auxílio financeiro para empreendedores afetados pelas chuvas

Fonte: Redação

O Sebrae-RS planeja oferecer um auxílio financeiro para empreendedores afetados pelas chuvas no Rio Grande do Sul. Os recursos virão do orçamento da entidade e serão oferecidos a fundo perdido – ou seja, sem a necessidade de devolução.

Em entrevista a PEGN, Luiz Carlos Bohn, presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-RS, afirmou que a estimativa inicial era oferecer um total de R$ 10 milhões, mas o valor será revisto e pode ultrapassar os R$ 30 milhões.

A estimativa da entidade é de que 600 mil micro e pequenos negócios tenham sido impactados pelas enchentes. A iniciativa terá como foco empresas do Simples Nacional e produtores rurais.

“Nosso orçamento [do Sebrae-RS] é de R$ 400 milhões. Poderemos remanejar todos os gastos que não forem necessários para colocar nesta ajuda financeira efetiva, sem pedir retorno”, afirma. Segundo ele, a revisão do orçamento deve ser concluída na próxima terça-feira (20/5).

O auxílio será semelhante ao oferecido no ano passado a empreendedores de municípios do Vale do Taquari, na região central do Rio Grande do Sul, após enchentes causadas por um ciclone extratropical atingirem o estado. Na ocasião, a iniciativa contou com a participação do Sebrae Nacional e do Sicredi Região dos Vales RS.

Segundo Bohn, após a revisão do orçamento, a entidade iniciará os processos de cadastro dos empreendedores e os cálculos dos benefícios, que devem variar de acordo com as necessidades comprovadas da empresa – como capital de giro e compra de estoque.

“[Esse tipo de auxílio] é bom porque a pessoa não precisa devolver e porque ela mesma compra [o que precisa para se recuperar]. Quando nós compramos, é mais burocrático e demorado”, pontua. “Teremos um comitê gestor desses recursos, com transparência, compliance e prestação de contas.”

Além da ação direta, Sebrae-RS integra um grupo de entidades que pedem novas políticas de apoio por parte do Governo Federal. Nesta quarta-feira (15/5), o comitê entregou um ofício ao presidente Lula solicitando, entre outras medidas, a isenção de alíquotas do Simples Nacional por 36 meses para negócios de municípios atingidos pelas chuvas.

Bohn avalia que as ações anunciadas até o momento são positivas, mas não suficientes. “Entendemos que, para manter os empregos, tem de ter recurso a fundo perdido. Esse foi o foco da nossa conversa com o presidente e os ministros”, afirma.

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
+ Relacionadas
Últimas

Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias do mundo dos negócios!