Portal BEI

Na maior franquia de educação do Brasil, 96% das empreendedoras são mulheres

Fonte: Redação

O Brasil tem 10,3 milhões de mulheres donas de negócios próprios. Esta foi a conclusão a que chegou o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) em seu levantamento mais recente, datado do terceiro trimestre de 2022. Elas respondem por 34,4% do total de empresas abertas. De cada 100 empreendedoras, 53 atuam no setor de serviços.

Na Rede Kumon, a maior franquia de educação do Brasil em número de estabelecimentos, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), as mulheres formam a maioria esmagadora: elas conduzem 96% das 1.500 unidades ativas no país.

Num momento de expansão dos negócios, com a perspectiva de abrir 119 novas unidades no Brasil em 2024, as mulheres continuam atuando como a força motriz da rede. Elas constataram, na prática, que com o Kumon é possível conciliar trabalho e atividades pessoais, além dos cuidados com a família.

O sucesso do empreendedorismo feminino no Kumon faz parte da própria trajetória do método, que foi desenvolvido no Japão, em 1958, pelo educador Toru Kumon. “Quando o professor criou o método, foi sua esposa, Teiko Kumon, que liderou a primeira unidade”, relata a gerente de expansão para a América do Sul, Camila Vargas Arquioli. Isso mesmo: a primeira responsável pela gestão de uma unidade Kumon foi uma mulher.

A área de educação costuma atrair mulheres, lembra Arquioli. “O lado maternal, o cuidar de pessoas, o gosto por lidar com crianças, é muito forte na rede”. O perfil médio de idade das orientadoras da franquia Kumon é de 35 anos, ela informa, ainda que haja orientadoras na casa dos 25 anos e também orientadoras com uma linda trajetória na rede, com cerca de 70 anos de idade.

De mãe para filha

“Nossa rede é formada por mulheres que buscam conciliar o tempo profissional com a rotina familiar. Temos também aquelas que buscam uma transição de carreira, que acreditam que podem contribuir mais com a sociedade, trabalhar com um propósito maior”, diz a gerente, cuja mãe iniciou uma franquia em 2006, na Zona Norte de São Paulo (SP), e tem entre as alunas a neta, filha de Camila.

“Minha mãe não estava trabalhando, viu o quanto eu era feliz como funcionária do Kumon, ficou interessada e participou do processo interno de formação para empreender”, ela relata. “Hoje meu pai, bancário, está aposentado e trabalha com ela na unidade, que já tem 18 anos de existência”.

Camila Vargas Arquioli, gerente de expansão para a América do Sul — Foto: Divulgação
Camila Vargas Arquioli, gerente de expansão para a América do Sul — Foto: Divulgação

Presente em mais de 60 países e há mais de 45 anos na América do Sul, onde atua em sete nações, o Kumon faz parte da vida de mais de 175 mil alunos atualmente no Brasil, transformando vidas tanto das crianças, quanto dos pais e das próprias empreendedoras.

Não é preciso formação nem experiência em educação para se tornar uma franqueada, ainda que ter um diploma universitário, em qualquer área, seja um pré-requisito. As candidatas a abrir uma franquia passam por um processo de seleção, que dura de quatro a cinco meses. Esta etapa se apoia em quatro pilares: orientação, comunicação, administração e divulgação. É preciso passar pelo treinamento, já que os franqueados são operadores da unidade que vão abrir.

“Muitas candidatas a empreender não têm experiência em gestão, de forma que este processo de formação é muito importante para garantir a longevidade da unidade”, explica a gerente. De fato, a mortalidade de franquias é baixa. Ao contrário, é bastante comum que elas se mantenham ativas por mais de 20 anos e sejam passadas de mães para filhas.

A empreendedora Barbara Feitoza integra a lista de responsáveis pela gestão de unidades Kumon no Brasil — Foto: Divulgação
A empreendedora Barbara Feitoza integra a lista de responsáveis pela gestão de unidades Kumon no Brasil — Foto: Divulgação

Os novos franqueados contam com suporte constante na pré abertura, desde o desenvolvimento do projeto da unidade até sua inauguração, e no pós abertura, com o acompanhamento periódico de consultores especialistas. Além disso, o Kumon oferece incentivos para a nova unidade, que podem chegar a R$ 27 mil, revertidos em apoio para marketing, aluguel e estrutura inicial.

De acordo com a ABF, em 2023, o faturamento das franquias brasileiras alcançou R$ 240,661 bilhões, um crescimento nominal de 13,8% em relação a 2022. E o Kumon participa ativamente deste movimento de expansão, oferecendo uma metodologia única que desenvolve habilidades essenciais através de seus materiais exclusivos nas disciplinas de matemática, português, inglês e japonês. A rentabilidade média é de 20% a 25% sobre o faturamento e o retorno do capital investido pode ocorrer, em média, em um período que varia de 18 a 24 meses.

Suas empreendedoras sabem que investir em uma franquia Kumon é mais do que apenas um investimento financeiro: é um investimento em uma marca comprovada e respeitada, com um histórico de sucesso e um futuro promissor, apoiado por uma comunidade global de educadores dedicados e apaixonados.

Para saber mais sobre como abrir uma franquia Kumon, clique aqui.

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
+ Relacionadas
Últimas

Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias do mundo dos negócios!