Portal BEI

De onde vem a fortuna de Akira Toriyama, criador de

Fonte: Redação

Criador do quarto mangá mais vendido da história, “Dragon Ball” (1984-1995), com 260 milhões de cópias pelo mundo, somados seus 42 volumes, Akira Toriyama, que morreu na última sexta-feira (1º), aos 68 anos, mantinha uma vida discreta em Nagoya, na sua cidade natal, quarto centro urbano mais populoso do Japão.

Nascido em 1955, Toriyama fez sucesso pela primeira vez na década de 1980, com a série de mangás “Dr. Slump”, sobre uma jovem Android que tinha superpoderes. Mas o auge começou quatro anos mais tarde, quando lançou “Dragon Ball”, que tem como protagonista Son Goku, uma criança com força sobre-humana, descendente dos Saiyajins, uma das raças mais poderosas do universo.

A trama, inspirada no romance chinês “Jornada ao Oeste”, mostra o protagonista atravessando o mundo em busca das esferas do dragão (que dão título à série), objetos mágicos capazes de realizar desejos. No caminho, Goku reunia aliados e enfrentava os antagonistas mais variados, entre mestres de artes marciais, andróides, organizações secretas e demônios.

Além do sucesso nos quadrinhos, a série se transformou em um dos animes mais populares da história, exibido no Japão de 1989 a 1996, com 291 episódios, sendo exibida posteriormente em mais de 80 países ao redor do mundo. O sucesso da série, aliado ao licenciamento de produtos, ajudou Toriyama a contruir um patrimônio milionário.

Segundo o site americano Celebrity Net Worth, famoso por estimar a fortuna de celebridades ao redor do mundo, a estimativa é que o autor tenha deixado um patrimônio líquido de US$ 50 milhões (na cotação atual, quase R$ 250 milhões). Toriyama também atuou como designer de personagens de videogames, incluindo as séries “Dragon Quest”, “Chrono Trigger” e “Blue Dragon”, além de assinar capas de álbuns, campanhas publicitárias e até o design de um carro elétrico, em 2005, para a CQ Motors, chamado QVOLT.

Como outros mangakás, os autores de mangás e animes no Japão, Toriyama seguia uma rotina exaustiva, o que fez com que aparecesse pouco para o público e em eventos, mantendo uma vida discreta em Nagoya. Há uma lenda que diz que facilitar a logística de Toriyama com as editoras em Tóquio foi a principal motivação por trás da construção de uma estrada próxima de sua casa que vai até o aeroporto da cidade. Toriyama foi vitimado por um hematoma subdural agudo, que acontece quando há um acúmulo de sangue entre o cérebro e o crânio. A informação de sua morte só foi divulgada na madrugada desta sexta-feira (8), por estúdios ligados ao artista, após uma despedida numa cerimônia discreta, restrita a familiares e amigos.

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
+ Relacionadas
Últimas

Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias do mundo dos negócios!