Portal BEI

Como se destacar em uma conversa, segundo neurocientista da Universidade da Califórnia

Fonte: Redação

Charan Ranganathan ensina maneiras de guardar nomes e rostos de outras pessoas


O professor indica ser necessário escolher o que vamos lembrar e ter “intencionalidade”
O professor indica ser necessário escolher o que vamos lembrar e ter “intencionalidade” — Foto: Freepik

Empreendedores e pequenos negócios têm um ponto chave que os diferencia das grandes empresas: o contato com o público. Seja prestador de serviços ou comerciante, é necessário se destacar, e em uma conversa isso se dá reconhecendo a pessoa e chamando-a pelo nome.

E o problema é exatamente esse. Lembrar-se do rosto de do nome de alguém é difícil para muitas pessoas, principalmente hoje com a quantidade de pessoas que mantemos contato no mundo físico e no digital.

Em entrevista ao site americano Inc., o neurocientista Charan Ranganathan ensinou maneiras de guardar nomes e rostos para se destacar em uma conversa. O especialista pesquisa sobre neuroimagem funcional, é professor na Universidade da Califórnia e autor do livro “Why We Remember” (Porque nos lembramos, em tradução livre).

Ranganathan sublinha que as pessoas não devem se menosprezar por esquecer o nome de alguém, afinal, argumenta o pesquisador, a mente humana não foi feita para lembrar sobre tudo e todos. O cientista dá como exemplo o fato que o americano médio tem acesso a 34 GB de informações diariamente com imagens, palavras e sons no mundo real.

O professor indica que é preciso escolher o que vamos lembrar e ter “intencionalidade” nessa ação, sendo necessário medidas ativas para memorizar as nomes e feições, e deixar para trás o que não é importante.

Faça associações

Ranganathan recomenda se esforçar para relacionar o rosto e o nome de uma pessoa e pontua que simplesmente repetir o nome durante uma conversa não é suficiente. Associações imediatas entre características físicas e nome podem ajudar.

Tenha mais informações

Mais detalhes além do nome e da aparência física podem ajudar a você a ter mais coisas para associar como de onde aquela pessoa é, onde trabalha e até mesmo gostos pessoais. “Estranhamente, quanto mais informações básicas você tiver sobre uma pessoa, mais fácil será atribuir o nome ao rosto”, argumenta Ranganath em entrevista a Inc.

Mais recente Próxima Ter um trabalho desafiador e estressante pode evitar demência na velhice, diz estudo de hospital norueguês

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
+ Relacionadas
Últimas

Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias do mundo dos negócios!