Portal BEI

A OPA do GetNinjas saiu com atraso, mas Reag coloca condições na mesa – NeoFeed

Fonte: Marcio Kroehn

A ação do GetNinjas teve um desempenho surpreendente no pregão de terça-feira, 12 de dezembro. O papel fechou o dia com um volume de negociação de mais de R$ 1,7 milhão – oito vezes superior à média diária de R$ 200 mil. Com alta de 9,1% e negociado a R$ 5,02, os investidores esperavam uma notícia que deveria ter sido publicada no dia anterior: a oferta pública de aquisição (OPA) da Reag Investimentos.

Nos acréscimos regulamentares, a gestora publicou na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) o edital com as condições de compra das ações em poder dos minoritários. Ao ultrapassar 25% do capital social do aplicativo de serviços, em 11 de outubro, a Reag tinha o prazo de 60 dias (conforme o estatuto da empresa) para registrar as condições da oferta – o que acabou acontecendo em 61 dias corridos.

Segundo o edital, o escopo da transação envolve a aquisição de 67,41% das ações do GetNinjas, sendo 24,59% de Eduardo L’Hotellier, o fundador da companhia; 23,42% da ARC Capital; e 19,4% em livre circulação.

Com valor de mercado de R$ 255 milhões, o volume da OPA será de R$ 171 milhões. E terá o BTG Pactual como coordenador-líder.

A Reag está oferecendo R$ 5 por ação ordinária do GetNinjas, o que significa uma valorização de 69,7% nos últimos 12 meses. Sobre o preço de fechamento de R$ 4,60 em 11 de dezembro (dia anterior à publicação do edital), a valorização é de 8,7%.

E um ganho de 9,9% sobre a proposta do laudo encomendado pela gestora, que propunha um valor justo de R$ 4,55 – ele se baseia no preço ponderado do papel nos últimos 90 dias.

Quando a Reag disparou a poison pill em outubro, a expectativa do mercado é que as condições da OPA ficariam entre R$ 4,60 e R$ 4,65 por ação. A justificativa pelo atraso na publicação do edital é por atraso operacional da B3, que precisa autorizar a oferta.

Ao estourar o prazo de publicação do edital, a Reag correu o risco de qualquer acionista com mais de 5% pedir uma assembleia extraordinária para cancelar alguns dos direitos da gestora no GetNinjas, como o voto no conselho de administração. Mas essa possibilidade deixa de existir com a OPA na mesa.

O próximo passo dessa OPA é o leilão no dia 24 de janeiro e a liquidação no dia 31. Mas os minoritários podem contestar as condições apresentadas, como o valor oferecido pela gestora.

Há cerca de dois meses, a Reag aumentou sua posição no aplicativo de serviços pagando um valor próximo a R$ 5 por ação. Caso esse seja o preço usado como referência, a oferta poderia chegar a R$ 5,10 e R$ 5,20 com o acréscimo do CDI do período.

Os minoritários podem optar por não aderir à OPA na data do leilão. Mas se a Reag superar os 50% do capital social, a gestora tem um prazo de até 90 dias para comprar as ações restantes pelo preço da oferta mais o acréscimo da taxa Selic do período, conforme o estatuto da empresa.

A oferta de aquisição de ação do GetNinjas é mais um passo da tomada de controle da Reag no aplicativo de serviços. Em 21 de novembro, uma assembleia foi realizada para eleger um novo conselho de administração.

Os novos integrantes são João Carlos Mansur, CEO da Reag, Luis Camisasca, managing director da Alvarez & Marsal, e Demian Pons, sócio da ARC Capital. L’Hotellier e Claudio Hermolin, da eXp Brasil, que faziam parte do antigo conselho, conseguiram a reeleição.

Seis dias após o novo conselho tomar posse, a decisão foi pela demissão do fundador L’Hotellier. Em seu lugar, assumiu como CEO Leonardo Meneses, ex-diretor da Alvarez & Marsal.

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
+ Relacionadas
Últimas

Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias do mundo dos negócios!