Portal BEI

81,3% dos empreendedores e empresas de turismo do RS tiveram atividades impactadas, diz pesquisa

Fonte: Redação

As enchentes no Rio Grande do Sul (RS) impactaram fortemente o setor de turismo, segundo uma pesquisa realizada pela Secretaria de Turismo do estado e a Universidade de Caxias do Sul (UCS). Os dados mostram que 81,3% dos empreendedores e empresas do setor de turismo relataram que suas atividades foram impactadas — dos quais 42,8% foram reduzidas e 38,5% foram paralisadas. E 89% dos respondentes tiveram cancelamento das reservas.

Desde o dia 16 de maio, a pesquisa já foi respondida por 572 empresas ou profissionais do setor de turismo, de 88 municípios do estado. As atividades incluem alimentação, hospedagem, guias turísticos, eventos, museus, transportadoras turísticas etc.

O objetivo é diagnosticar os prejuízos e as condições de retomada do turismo, explica o responsável Michel Bregolin, coordenador do Núcleo de Observação, Desenvolvimento e Inteligência Turística e Territorial (NID ODITT) da UCS.

A pesquisa mapeou as empresas por porte:

  • Microempreendedores individuais (MEIs): 29,9%
  • Micro empresas (MEs): 34,4%
  • Empresas de pequeno porte (EPPs): 16,8%
  • Médias e grandes empresas: 18,2%
  • Autônomo sem MEI: 0,7%

“Vemos muitos casos de empreendedores que possuem seus estabelecimentos intactos. Porém, os turistas têm dificuldade para acessar estes locais”, afirma Bregolin, em entrevista a PEGN.

SOS RS:

71% dos respondentes relataram dificuldades de acesso para chegar a seus serviços. A maioria (75,7%) respondeu não ter tido impactos nas instalações físicas, enquanto 62,1% disseram estar fora da área de risco deste evento climático.

Para os respondentes, os três principais aspectos para restabelecer as operações são divulgação da região (76,8%), recuperação de acesso (75,3%) e divulgação do município (73,7%). Acesso a crédito foi uma necessidade para 46,7% dos participantes.

Segundo o coordenador, os dados divulgados nesta sexta-feira (24/5) são preliminares, mas já apontam um possível caminho. “Queremos fazer um panorama de todo o estado, mas temos que considerar que os estabelecimentos que foram mais impactados em relação à infraestrutura podem não ter conseguido responder a pesquisa devido a falta de sinal de internet. Precisamos de mais respondentes para ter mais clareza”, diz.

A pesquisa continua aberta para coleta de dados de todos os empreendedores e empresas do setor de Turismo do estado do Rio Grande do Sul e pode ser respondida neste link.

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
+ Relacionadas
Últimas

Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias do mundo dos negócios!