Portal BEI

100 Startups to Watch 2024: tire suas dúvidas sobre a lista

Fonte: Redação

A lista 100 Startups to Watch, que reúne as empresas de base tecnológica mais promissoras do ecossistema de inovação brasileiro, chegou à sétima edição e está com as inscrições abertas até 15 de julho.

Em live realizada nesta quarta-feira (5/6), PEGN respondeu às principais dúvidas sobre o projeto. Participaram do bate-papo Jaime Frenkel, sócio do EloGroup; Hudson Mendonça, cofundador da Innovc; Juliana Ventura, editora-executiva de Pequenas Empresas & Grandes Negócios; e Mariana Iwakura, editora-chefe de Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Iwakura pontuou que a lista 100 STW, publicada pela primeira vez em 2018, já revelou muitas startups que escalaram, captaram grandes cheques com investidores de capital de risco e, eventualmente, se tornaram unicórnios.

“Nascemos junto dos primeiros unicórnios brasileiros, 99 e Nubank. A lista evoluiu junto com o ecossistema, fomos acompanhando o movimento que espalhou startups para todos os segmentos”, acrescentou Mendonça, da Innovc.

A lista com as 100 startups mais quentes do ecossistema brasileiro de 2024 será divulgada na edição de outubro de PEGN. A seguir, veja as principais perguntas e respostas sobre o 100 STW:

Como entrar na lista das 100 Startups to Watch?

O primeiro passo é se inscrever pelo site 100startupstowatch.com.br. Frenkel, da Elogroup, indica que empreendedores que já se inscreveram em anos anteriores podem utilizar o mesmo login e exportar as informações enviadas para a última participação, facilitando o preenchimento do cadastro.

Caso esta seja a sua primeira inscrição, é preciso preencher cinco grandes abas:

  • Informações gerais: dados básicos da startup, como nome e CNPJ;
  • Negócio: dados sobre o diferencial da startup, problema resolvido, quem são os concorrentes, qual impacto é gerado pela operação;
  • Equipe: detalhes sobre a composição do time e se há alguma política de diversidade;
  • Sócios: informações sobre o time que lidera o negócio, como experiência profissional e se há características de diversidade no quadro societário;
  • Histórico: o que já foi construído, quais investimentos já receberam.

A dica de Frenkel é pensar no formulário como a realização de um pitch: é a hora de vender a ideia da sua empresa! “O momento do preenchimento é para convencer que o negócio tem muito potencial e capacidade de crescer. Mostrar os principais insights, o que tem de diferente, qual é o histórico da equipe. Trate como oportunidade de contar por que o negócio é único”, pontua o sócio da Elogroup.

As inscrições para o 100 Startups to Watch 2024 estão abertas! Acesse o site 100startupstowatch.com.br e veja como participar.

O formulário é longo, posso preencher depois?

Sim! Não é necessário iniciar e terminar a inscrição no mesmo dia. Você pode começar o preenchimento e voltar em outro momento. As informações já incluídas seguirão lá, já salvas. Porém, não deixe para a última hora.

A dica é dar uma olhada geral no formulário, entender quais informações são necessárias e reunir o máximo possível de dados para, depois, incluir na inscrição.

Precisa pagar para participar?

Não! A inscrição no 100 Startups to Watch é gratuita.

E depois? Como as startups são escolhidas?

Após o encerramento do prazo de inscrições – vai até 15 de julho, não se esqueça –, os formulários passam por uma triagem inicial para verificar quais cadastros são válidos, de acordo com o regulamento. As startups que passarem pela primeira etapa do funil são avaliadas por técnicos da Innovc e da Elogroup com notas de 1 a 5 para os critérios: grau de inovação, potencial de mercado, negócio, equipe e maturidade da solução.

A avaliação resulta em uma lista de 200 finalistas. Destas, pelo menos 100 startups devem ter 50% ou mais do quadro societário com características de diversidade (declarar-se preto, pardo, amarelo ou indígena; do sexo feminino; LGBTQIAP+; ou pessoa com deficiência). Iwakura ressaltou que esses dados são sigilosos e serão utilizados apenas para o critério de avaliação, sem divulgação posterior.

Um comitê diverso formado por consultores, especialistas e investidores do país inteiro, convidado por Editora Globo, Innovc e Elogroup, ajuda na avaliação final, que chegará às 100 startups com maior nota. Essa lista é validada em uma reunião final. “É importante ter a inteligência coletiva para olhar a lista de uma vez. São várias etapas para garantir que chegamos às 100 startups mais promissoras desse ano”, afirma Iwakura.

Mas é lista ou ranking?

Apesar da seleção ser feita com base nas maiores notas, as startups são apresentadas como integrantes de uma lista – não há ordenação a partir das avaliações. As empresas são divididas por setor de atuação, com o nome e a etapa de desenvolvimento de cada selecionada, mas todas têm o mesmo lugar e importância.

Startups de qualquer setor podem participar?

Sim. Iwakura ressalta que não existem grupos pré-definidos de segmentos para entrar na lista. Cada ano mostra, inclusive, uma flutuação: durante a pandemia, as healthtechs se destacaram, por exemplo. Mesmo que a sua startup faça parte de um setor que nunca fez parte da lista, inscreva-se.

Minha startup já integrou a lista em outra edição, posso participar de novo?

Claro! A lista 100 Startups to Watch traz as empresas de base tecnológica que estejam próximas de avançar em sua fase de maturidade, seja nos estágios mais iniciais, seja no late stage. Se você já participou, mas está em outro momento, inscreva-se novamente. A avaliação leva em consideração os seguintes estágios: protótipo, validação, MVP, tração e escala.

“Avaliamos o quanto a startup está pronta para passar para a próxima etapa. A maneira que avaliamos quem está na fase de protótipo é diferente de quem está em escala, já mais avançado”, pontua Mendonça.

Por que participar?

A lista 100 STW é uma importante vitrine para as startups selecionadas, afinal, mostra que aquelas empresas passaram por um processo rigoroso de avaliação e receberam destaque. “É uma chancela que chama a atenção de investidores e de grandes empresas que buscam startups como fornecedoras ou para investir”, afirma Iwakura.

Assista à live na íntegra:

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
+ Relacionadas
Últimas

Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias do mundo dos negócios!