Portal BEI

Qn-Solar foca em tecnologia TOPCon e planeja expansão de 36 GW em 2024

Fonte: Mateus Badra

Qn-Solar foca em tecnologia TOPCon e planeja expansão de 36 GW em 2024

Fábrica de módulos fotovoltaicos da Qn-Solar. Imagem: Qn-Solar/Divulgação

A Qn-Solar tem como foco estratégico a tecnologia TOPCon para os próximos três, quatro anos, aproveitando suas vantagens significativas na energia solar para fornecer soluções solares econômicas e de alto desempenho para clientes em todo o mundo.

É o que afirmou Stephen Cai, CEO da empresa. Segundo ele, a fabricante tem planos de atingir 36 GW em células N-Type até o final de 2024, atingindo um total 69 GW de N-Type + P-Type. “Estamos remodelando o cenário da geração fotovoltaica com a ousada ambição de garantir 80% das remessas de painéis do tipo N”.

“De 2014 para 2024, a capacidade instalada dos nossos projetos atingiu 15 GW. Inclusive, nosso próprio ativo de usinas fotovoltaicas ultrapassou 1,5 GW”, acrescentou.

De acordo com o executivo, a indústria solar está à beira de uma transformação com a popularização da tecnologia de células solares TOPCon. “Esta abordagem inovadora representa um avanço significativo em relação às células PERC e PERT, prometendo maior eficiência e desempenho”.

“As células TOPCon, com sua notável semelhança com as células PERC/PERT, podem ser perfeitamente integradas em linhas de produção existentes com ajustes mínimos. Compreender a estrutura e o processo de fabricação das células TOPCon é crucial para aproveitar o seu potencial”, enfatizou.

Vantagens da tecnologia TOPCon

Conforme Cai, a tecnologia TOPCon pode alcançar uma taxa anual de melhoria de eficiência de 0,5% a 0,6%. Além disso, é compatível com linhas de produção PERC, facilitando a produção em larga escala e de baixo custo de equipamentos fotovoltaicos de alto desempenho, o que proporciona mais benefícios aos clientes.

“Em comparação com tecnologias solares convencionais como PERC/PERT, a TOPCon apresenta resistência superior a impurezas e maior estabilidade, resultando em maior eficiência do produto”, relatou.

Ademais, enfatizou que tal tecnologia promete um retorno do investimento excepcional, com um período de retorno mais curto em comparação com PERC e HJT, normalmente necessitando apenas de cinco a seis anos para recuperar o investimento inicial.

“As projeções teóricas sugerem que dentro de cinco anos, a tecnologia TOPCon se aproximará do nível de eficiência da HJT, indicando um potencial de mercado significativo”, estimou o CEO da Qn-Solar.

“Apesar de enfrentar a concorrência de tecnologias emergentes como células HJT (heterojunção) e IBC (Interdigitated Back-Contacted), a TOPCon está preparada para desempenhar um papel fundamental na definição do futuro da energia solar”, afirmou.

Expansão na Europa e no Brasil

Um dos objetivos da companhia, apontados por Stephen Cai, é uma expansão estratégica em toda a Europa, com aspirações de fornecer 320 GW de capacidade solar fotovoltaica até 2025 e quase duplicar para 600 GW até 2030.

“A jornada da tecnologia TOPCon marca uma fase transformadora em nossa indústria, com eficiências e avanços comprovados abrindo caminho para um futuro brilhante. À medida que a mesma amadurece e os custos diminuem, os módulos TOPCon da Qn-SOLAR estão preparados para liderar o avanço em direção a um cenário energético sustentável”, concluiu o executivo.


Todo o conteúdo do Canal Solar é resguardado pela lei de direitos autorais, e fica expressamente proibida a reprodução parcial ou total deste site em qualquer meio. Caso tenha interesse em colaborar ou reutilizar parte do nosso material, solicitamos que entre em contato através do e-mail: [email protected].

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
+ Relacionadas
Últimas

Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias do mundo dos negócios!