Portal BEI

Comércio e serviços aceleram expansão do Mercado Livre

Fonte: Wagner Freire

A CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) divulgou, nesta quarta-feira (17), um balanço da adesão de consumidores ao Mercado Livre de Energia, destacando os setores de comércio e serviços.

A flexibilização dos critérios de acesso a partir de janeiro impulsionou uma aceleração no número de migrações, com 5.360 consumidores ingressando no segmento no primeiro trimestre deste ano.

Segundo a CCEE, as migrações foram lideradas pelos segmentos do comércio (1.544) e serviços (1.328), seguidos pelos setores de manufaturados diversos (642) e alimentícios (632).

Gráfico de migrações para o Mercado Livre de Energia no primeiro trimestre de 2024.

Adesões ao Mercado Livre de Energia por segmento. Fonte: CCEE

Dos consumidores que adentraram no ACL (Ambiente de Contratação Livre) no primeiro trimestre, 72% são clientes varejistas, beneficiados pela Portaria nº 50/22 do MME (Ministério de Minas e Energia), que expandiu o acesso ao Mercado Livre para todas as empresas conectadas em média e alta tensão neste ano.

Os estados do Sudeste e Sul puxaram as migrações no primeiro trimestre de 2024. São Paulo está no topo da lista, com 1.731 novos consumidores no ambiente, seguido pelo Rio de Janeiro (563) e Rio Grande do Sul (480).

Mapa de migração de consumidores para o Mercado Livre de Energia no primeiro trimestre de 2024.

Mapa de migração de consumidores para o Mercado Livre de Energia no primeiro trimestre de 2024. Fonte: CCEE

O Mercado Livre de Energia encerrou o mês de março com 43.540 unidades consumidoras, um aumento de 10 mil em relação ao verificado 12 meses antes, representando 38% do consumo nacional. 

Segundo dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), aproximadamente 19,3 mil consumidores manifestaram às distribuidoras o desejo de migrar para o ambiente livre ao longo de 2024, além de 650 pedidos para 2025.


Todo o conteúdo do Canal Solar é resguardado pela lei de direitos autorais, e fica expressamente proibida a reprodução parcial ou total deste site em qualquer meio. Caso tenha interesse em colaborar ou reutilizar parte do nosso material, solicitamos que entre em contato através do e-mail: [email protected].

Compartilhe:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
Telegram
+ Relacionadas
Últimas

Newsletter

Fique por dentro das últimas notícias do mundo dos negócios!